Terça-feira, 24 de Julho de 2007

Entrevista

Olá a todos.. Hoje andei a pesquisar nas revistas e jornais que tenho sobre a Cristina e encontrei uma entrevista dela que apesar de já ser muito antiga resolvi postar na mesma.

D.S.- Como é que surgiu a oportunidade para apresentar o "Você na TV" ao lado de Manuel Luís Goucha?

C.F.- Acho que surgiu de uma maneira muito natural. Eu já estava na TVI há algum tempo quando me fizeram o convite. Estagiei no "Olá Portugal" e na sequência disso, surgiu a oportunidade de apresentar os diários do último "Big Brother" e depois do "Diário da Manhã". Foi precisamente nessa altura que me convidaram para apresentar o "Você na TV" em parceria com o Manuel Luís Goucha.

D.S.- Quando soube que ia partilhar a apresentação com o Manuel Luís Goucha, como é que reagiu?

C.F.- Eu já tinha trabalhado com o Manuel, mas na altura não estávamos juntos no mesmo espaço físico. Como é obvio admirava o trabalho dele há muito tempo, por isso foi uma alegria poder trabalhar com ele, enfrentar um novo desafio profissional e ter oportunidade de crescer em televisão ao lado de alguém que já faz este tipo de programas há muitos anos e que tem muito para me ensinar.

 

D.S.- Isso nunca a intimidou?

 

C.F.- Não. Uma das minhas maiores características é que sempre acreditei em mim e nas minhas capacidades, por isso, sempre me senti preparada para enfrentar todo o tipo de desafios, através de muito estudo e de muita pesquisa. Além disso, logo na primeira semana de trabalho descobrimos que somos parecidos e que temos formas de trabalho idênticas. Sentimos desde logo uma empatia muito grande.

 

D.S.- Como é que se prepara diariamente um programa deste género?

 

C.F.- Ao contrário do que se possa pensar, não preparamos o programa em conjunto, cada um de nós trabalha em casa separadamente, mas como temos um método de trabalho semelhante é quase como se estivéssemos juntos. Como é óbvio, existe uma equipa que trabalha as histórias, porque estamos a falar de histórias e de pessoas anónimas. Depois, essa equipa trabalha as histórias connosco e nós trabalhamo-las em casa, o que no meu caso demora cerca de duas horas por dia. As pessoas pensam que nós chegamos ali e dizemos o que nos vem à cabeça, mas a verdade é que há um grande trabalho de preparação prévia para cada programa. Fazemos imensa pesquisa na Internet, lemos os jornais diários, os livros sobre os quais vamos falar, enfim, tentamos estar sempre em cima do acontecimento e preparar tudo exaustivamente.

 

D.S.- Muitas das histórias que levam ao programa têm um elevado grau de emotividade. Como é que consegue controlar as emoções?

 

C.F.- Nós não temos intenção de esconder as emoções, mas obviamente que em determinados momentos temos de nos controlar. Confesso que no ínicio foi mais complicado para mim, até porque não tenho o mesmo background do Manel, mas como tenho sempre um conhecimento prévio da história, começou a ser um bocadinho mais fácil para mim do que para alguém que está a ouvir aquela história pela primeira vez em casa. A verdade é que é sempre difícil abordar estes temas, principalmente quando estamos a falar de crianças. O nosso objectivo é tornar feliz, nem que seja por um instante, a pessoa que está ali à nossa frente, numa situação de grande fragilidade. É isso que nos dá força para continuar.

 

D.S.- Lembra-se de alguma história de vida que a tenha marcado?

 

C.F.- Já passaram pelo programa histórias muito marcantes, que tanto eu como o Manel vamos guardar para o resto da vida. Lembro-me por exemplo de um menino, com cerca de sete anos de idade, que era discriminado, porque tinha um tumor cerebral, uma doença que não é contagiosa, mas mesmo assim os pais das outras crianças não permitiam que os filhos brincassem com ele. Ele veio com a mãe ao programa e esteve o tempo todo ao meu lado a fazer beicinho e quase a chorar. A determinada altura perguntei-lhe se ele tinha amigos, ele respondeu-me que não e desatou a chorar. Obviamente que durante alguns segundos ficámos ali sem saber o que fazer, mas como sabíamos que o grande sonho dele era ter uma trotineta, tínhamos uma para lhe oferecer. Só no momento em que lhe oferecemos a trotineta é que conseguimos arrancar um sorriso daquele rosto. Ver aquele menino a chorar compulsivamente ali ao meu lado, fez-me sentir completamente impotente e por isso esta história marcou-me muito. 

D.S.- São histórias como essa que fazem com que valha a pena continuar a apresentar o "Você na TV" diariamente?

C.F.- São. Sentirmos que em algum momento das nossas vidas conseguimos ajudar alguém é realmente impagável. Tivemos recentemente no programa uma jovem anoréctica, que pesava 29 quilos e nós conseguimos mudar a vida dela, porque depois de ter estado no programa ela foi fazer um tratamento e neste momento já pesa quase 50 quilos, arranjou emprego e está feliz.

D.S.- Que balanço é que faz da sua prestação no "Você na TV", numa altura em que o programa está quase a completar 600 emisões?


C.F.- Faço um balanço muito positivo. Eu não gosto de me sentir a estagnar um programa diário, de três horas, em directo, permite-nos crescer muito, não só a nível da apresentação propriamente dita, mas também ao nível da aquisição de conhecimentos. Acima de tudo, sinto que tenho crescido enquanto profissional e essa é a minha maior ambição, crescer e estar preparada para enfrentar qualquer desafio que apareça a seguir.

 

D.S.: Que desafio é que gostava que lhe aparecesse a seguir?

 

C.F.: Para já nenhum, a não ser que desse para acumular com o "Você na TV", porque acho que ainda tenho muito para dar às manhãs da TVI. Mas como é óbvio, tenho consciência de que as coisas não são eternas. No dia em que o "Você na TV" chegar ao fim, espero que surja um novo desafio que me permita continuar a crescer.

 

D.S.: Quando era pequenina era esta profissão que queria seguir quando fosse grande?

 

C.F.: Também quis ser professora e ainda exerci essa profissão durante 2 anos, uma vez que fui professora de História e Português, mas quando tirei o curso de Ciências da Comunicação percebi que o que me entusiasmava verdadeiramente era a área da Comunicação. No dia em que isto terminar quero manter-me atrás das câmaras, porque gosto de toda a construção que é necessária para pôr um programa de televisão no ar.

 

D.S.: Paralelamente, inaugurou recentemente uma loja de roupa. Era um sonho antigo?

 

C.F.: Curiosamente não foi nada pensado, nem sequer era um sonho que eu acalentasse. No entanto, a escolha diária de roupa que sou obrigada a fazer enquanto apresentadora de televisão, levou-me a pensar que talvez fosse mais prático ter a minha própria loja, em vez de andar a correr todos os dias de loja em loja a experimentar a roupa para ir para o ar. Depois, surgiu a oportunidade de abrir essa loja na minha terra, na Malveira e eu nem hesitei, porque acho que é importante desenvolvermos a nossa terra, sempre que tivermos possibilidade disso. Sou saloia com muito gosto e não tenho problema nenhum em afirmá-lo. Além disso, as pessoas gostam muito de sentir que eu gosto realmente da minha terra, por isso é que inevitavelmente a minha primeira loja teria de surgir na Malveira, onde faço questão de estar todos os dias durante a tarde e ao Sábado todo o dia, porque só assim é que este projecto faz sentido para mim, e com o meu total empenho e participação.

 

By: Dica da Semana

 

 

E pronto.. ficaram a saber de onde começou a carreira da Cristina =)

 

Espero que tenham gostado!

 

Beijinhos

publicado por Andreia às 20:02
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Carol a 24 de Julho de 2007 às 23:09
Olá! Já te adicionei no meu mail do blog da Diana Chaves! Eu não me importo de te ajudar, claro que não! Aparece no msn para falarmos!
Beijinho fico à espera!


Comentar post

Pesquisar

 

Posts Recentes

"Não Quero Namorados"

Juntos em dia de festa

Reabertura do blog

Cristina "Sentiu que tinh...

Atitude de Cristina Ferre...

Vale a pena rever!

Fotos: Os Looks de Cristi...

Manuel Luís Goucha e Cris...

Cristina Ferreira em "Uma...

Cristina Ferreira no Alma...

Informações

Online desde 13 de Junho de 2007
Layout Andreia
Gerentes Andreia, Rita & Sandra
Pessoas Online online
Contador hits

Arquivos

Outubro 2011

Setembro 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Setembro 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Música